Cadê o Mercado que Estava Aqui

O jornal Valor Econômico de hoje traz uma notícia que pode ser lida de várias formas algumas muito boas, mas a maioria muito mal.

Os jovens americanos estão dando preferência para meios de transporte alternativos, reduzindo a emissão de carteiras de motorista e preocupando seriamente os fabricantes.

O que era impensável num país onde o automóvel é um estilo de vida e as grandes distâncias são a norma está se tornando realidade. Os novos consumidores estão dando o recado que não pretendem manter o ritmo de consumo de seus pais, sua preocupação com o meio ambiente e o consumo sustentável aliada o desejo de abdicar de certos luxos supérfluos serão decisores na hora da compra.

Costumo dizer que quando ouvimos o trovão é tarde para construir uma arca, é preciso estar atento aos sinais e se preparar para as mudanças. As montadoras, petrolíferas, oficinas, lojas, e toda a cadeia automotiva será duramente afetada pelas iniciativas de redução do uso do automóvel. Altos custos de propriedade (compra, manutenção, espaço de estacionamento,impostos, combustível), melhoria dos meios de transporte alternativo (metro, bicicleta, carona) e o trabalho descentralizado (home office, coworking) estão pesando muito mais que todos os benefícios de se ter um carro próprio.

A pergunta que fica para todos é: E se isso acontecer no meu mercado? E se os jovens investidores decidirem que não terão contas em bancos que não prestarem serviços adequados, ou deixarem de comprar refrigerantes de empresas que insistem em ingredientes nocivos ou abandomarem cosméticos que testam produtos em animais?

Todo cuidado é pouco, pois algumas indústrias, como a música, os trovões já estão sendo ouvidos.

Escrito por

Carl é um engenheiro de negócios com 25 anos de experiência na gestão de empresas e projetos de vários tamanhos para grupos privados e governos. Há 6 anos começou a criar e articular redes sociais começando com a Rede da Engenharia até o Projeto TEIA MG de massificação de uso da Web do Governo de Minas. Pós-graduado em Marketing pela ESPM, MBA em Finanças pelo IBMEC e mestrado em Administração pelo Mackenzie. Apaixonado pelas filhas Amanda e Stella, está sempre com elas passeando na ciclofaixa, assistindo um filme de sua coleção, ou no Twitter, Facebook, Skype entre outras ferramentas que ensinou as duas a usar.

Sem comentários ainda.

Deixe uma resposta

Mensagem