Modelo de Negócio Falido 1 – O Pedágio

Tenho comentado há algums meses sobre a insistência das empresas em buscar modelos de negócio incompatíveis com as premissas básicas da Sociedade do Conhecimento.

Esses modelos, de grande sucesso no passado, tem se tornado o pesadelo das empresas que os adotam pois, apesar de fazerem todo sentido no papel, jamais se materializam ou produzem resultados abaixo do esperado.

O primeiro que vou abordar nesse post é o Pedágio, modelo muito comum em negócios de distribuição de conteúdo totalmente baseado na restrição de acesso a uma informação escassa. O cidadão abre um “portal” atrai as pessoas para esse portal e cobra acesso às informações ali contidas.

Faria todo o sentido se informação não fosse facilmente replicável e simples de distribuir. Notícias, músicas, livros, imagens, e qualquer outro tipo de conteúdo digital podem ser copiados e enviados por email, link de download, colado, compartilhado em questão de segundos, tornando inútil as tentativas de se cobrar pelo seu acesso.

Hoje o pedágio tem de ser substituído pela prestação de um serviço, tem de agregar valor ao que está sendo distribuído. Não basta noticiar um fato, isso todos fazem e de forma gratuita. É preciso incluir análises, opiniões e outros serviços exclusivos para justificar uma cobrança.

Cobrar por uma musica? Para a grande maioria isso pagar por música é impensável, o habito de emprestar discos ou gravar uma lista de músicas é muito mais antigo do que a intenret. Fitas cassetes virgens, Cd’s graváveis existem há anos. Restringiir o acesso a uma música para poder cobrar por ela é uma batalaha perdida, mas que tal oferecer um serviço de streaming de música com seleções personalizadas por genero, por ouvinte ou até serviços do tipo: “O que o seu idolo está ouvindo”

É preciso entender que modelos baseados na escassez e no controle de acesso a produtos e serviços está com seus dias contados. Na cabeça do cliente, conteúdo e conhecimento são hoje considerados Bens Comuns e seu acesso deve ser livre. Para ter direito à cobrança um serviço deve ser prestado agregando valor ao conteúdo.

Assim se sua empresa tem como modelo de negócio, cobrar pelo acesso à informação, verifique se essa informação é realmente exclusiva, cobre um valor que desestimule a confecção de cópias e ofereça um serviços em troca.

Afinal, mesmo que estrada seja boa e bem conservada, ninguém gosta de pagar pedágio.

Escrito por

Carl é um engenheiro de negócios com 25 anos de experiência na gestão de empresas e projetos de vários tamanhos para grupos privados e governos. Há 6 anos começou a criar e articular redes sociais começando com a Rede da Engenharia até o Projeto TEIA MG de massificação de uso da Web do Governo de Minas. Pós-graduado em Marketing pela ESPM, MBA em Finanças pelo IBMEC e mestrado em Administração pelo Mackenzie. Apaixonado pelas filhas Amanda e Stella, está sempre com elas passeando na ciclofaixa, assistindo um filme de sua coleção, ou no Twitter, Facebook, Skype entre outras ferramentas que ensinou as duas a usar.

Sem comentários ainda.

Deixe uma resposta

Mensagem