Não se assuste, faça as contas

Ainda no calor da discussão sobre a compra do Instagram pelo Facebook há, por incrivel que pareça, pessoas que se assustaram tanto com a iniciativa quanto com o valor pago pelo negócio.

Essa é uma daquelas situações onde, juntando se as peças de artigos que já lemos por aí, ficam evidentes que isto estava para acontecer. Como lembra Om Malik no Gigaom num excelente artigo sobre a ameaça que a Instagram estava se tornando para o Facebook.

Quanto ao valor, apenas a memória curta pode se assustar com a avaliação feita, pois em abril de 2010, quando estávamos para apresentar o relatório final do Projeto TEIA MG ao Governo de Minas Gerais avaliando a rede criada pelas iniciativas do projeto, enfrentamos o desafio de calcular o ROI (ou retorno sobre o invetimento) do TEIA MG sem cair no blábláblá tradicional de ganho com a imagem do governo e outros indices subjetivos.

A alternativa escolhida foi a avaliação financeira, dura, fria e real do quanto o mercado pagaria pela rede de pessoas mobilizadas em torno do projeto. Afinal o retorno de um investimento é calculado pela divisão do valor do ativo gerado descontado o investimento pelo valor investido.

Assim consultamos as operações envolvendo redes sociais naquele ano:

  • Investimento da Microsoft no Facebook com 380 mil membros e avaliado em 15 bilhões de USD
  • Investimento na Beebo com 33 milhões de membros e avaliada em 850 milhões de USD
  • Investimento no LinkedIn com 40 milhões de membros e avaliada em 1 bilhão de USD

Uma conta simples e temos a média de 30,07 USD por membro, sendo 39,47 , 25,75 e 25,00 por operação respectivamente.

Dois anos depois temos o Facebook pagando 33,33 USD por membro logo depois da Instagram ter sido avalida pela metade deste preço. Só há uma coisa ser dita neste caso.

Parabéns para aqueles que, há poucos dias, compraram por quinze e venderam por 33,33. Com esses 2% a vida vai ficando boa.

obs.1: para os que não conhecem a piada, os 2% podem parecer um erro de cálculo, mas não é.
obs.2: antes que perguntem o ROI do projeto TEIA em seu 3o. ano era de 3.600,00%

Escrito por

Carl é um engenheiro de negócios com 25 anos de experiência na gestão de empresas e projetos de vários tamanhos para grupos privados e governos. Há 6 anos começou a criar e articular redes sociais começando com a Rede da Engenharia até o Projeto TEIA MG de massificação de uso da Web do Governo de Minas. Pós-graduado em Marketing pela ESPM, MBA em Finanças pelo IBMEC e mestrado em Administração pelo Mackenzie. Apaixonado pelas filhas Amanda e Stella, está sempre com elas passeando na ciclofaixa, assistindo um filme de sua coleção, ou no Twitter, Facebook, Skype entre outras ferramentas que ensinou as duas a usar.

Sem comentários ainda.

Deixe uma resposta

Mensagem