Não se esconda Inbox

Atuar em rede é um esporte de contato, de interação, de conversa, de dias bons e dias maus, onde coisas acontecem ou não, onde as pessoas respondem e correspondem ou não. É como a vida e, como na vida a gente tenta se proteger dela.

É aquela idéia que é possível se proteger das coisas ruins, dos acidentes de percurso no que vem sendo chamado de “Ambiente Seguro de Aprendizado” onde as pequenas ( e as grandes também) dores podem ser evitadas e o aprendizado acontece naturalmente, de forma pacifica e fluída.

Seria lindo se fosse possível, quer dizer, se fosse possível aprendermos sem dor mas, não é. Privarmo-nos de uma experiência pela seu potencial de dor é e nos  privarmos do aprendizado.

Hoje, atuar em rede é aprender um novo modo de fazer as coisas, é se desprogramar de anos de treinamento para um mundo que dá seus ultimos suspiros, é começar de novo, sob um novo paradigma. Algo que não vai acontecer sem desconforto, conflitos, mal-entendidos e muitos “mea culpas” e pedidos de desculpas.

O Inbox é nossa tentativa de fugir disso, de tentar aprender a viver em rede num “ambiente seguro de aprendizado”, buscando a ajuda de um responsável, de uma instancia superior, de chamar o papai e a mamãe. Isso não tem como acabar bem.

Para viver a rede em sua plenitude e exponencialidade é preciso, para não dizer mandatório, deixar de lado o impulso de procurar alguém, um responsável, um amigo influente e lançar suas necessidades, questões, projetos, nos grupos, páginas, foruns e etc. dando oportunidade para quem se sentir chamado te apoiar ou caminhar junto em seu projeto.

O inbox é confortável, é pessoal, nos dá a segurança de estar falando com alguém que vai responder, mas também é invasivo, excludente, linear, limitador.

Use-o com sabedoria, parcimônia, e consciente que não é atuar em rede.

Escrito por

Carl é um engenheiro de negócios com 25 anos de experiência na gestão de empresas e projetos de vários tamanhos para grupos privados e governos. Há 6 anos começou a criar e articular redes sociais começando com a Rede da Engenharia até o Projeto TEIA MG de massificação de uso da Web do Governo de Minas. Pós-graduado em Marketing pela ESPM, MBA em Finanças pelo IBMEC e mestrado em Administração pelo Mackenzie. Apaixonado pelas filhas Amanda e Stella, está sempre com elas passeando na ciclofaixa, assistindo um filme de sua coleção, ou no Twitter, Facebook, Skype entre outras ferramentas que ensinou as duas a usar.

Sem comentários ainda.

Deixe uma resposta

Mensagem