Monitoramento. Como dizia Raul Seixas…

O monitoramento de informações é fundamental em qualquer processo de comunicação. Se “informação é poder”, ler o que o mercado fala sobre sua marca e os concorrentes é  condição básica para saber se uma estratégia vai ser bem sucedida e trazer os resultados esperados de visibilidade (conhecimento) e fidelização (resultados sustentáveis).

O monitoramento é a pesquisa sobre um assunto nuclear (marca) e seus adjacentes orbitais (cocorrentes, mercado) mais a classificação do conteúdo em diferentes critérios. É sua leitura minuciosa que permite a um profissional de comunicação enxergar o mercado de forma ampla e criar a melhor ação de comunicação sugerida para o momento; de vendas, de captação de fãs e amigos, de anúncio junto à imprensa. O monitoramento completo pode ser a diferença entre sucesso e fracasso de uma estratégia de comunicação.

O monitoramento sempre foi uma das armas mais poderosas em épocas de guerra – que o digam espiões e Mata Haris da vida infiltradas junto aos inimigos para roubarem segredos valiosíssimos – apenas para citar um de seus aspectos. Então, vale a pergunta: se vender e se manter sustentável pode envolver marketing de guerrilha, por que não fazer o dever de casa de forma completa? É o conhecimento prévio dos vários aspectos envolvendo a jogada -– inclusive a análise de resultados anteriores de jogada semelhantes, feitas por outros players – aliado ao seu conhecimento técnico de como atacar, que vai ser o seu diferencial de ataque. É o conhecimento mais abrangente do seu entorno que vai permitir a melhor decisão sobre o que, onde, quando, como e porquê fazer esta ou outra jogada, considerando, você também as variáveis relativas ao seu negócio naquele momento de decisão.

O monitoramento de informação é a ascensão do clipping, como era chamado ainda antes do advento internet 2.0, com nome pomposo.  Segmentado ou completo, entregue em tempo real ou não, ele é o início de um processo de comunicação; senão o início, o meio e o fim (parafraseando Raul Seixas). É ele que permite a quem decide acompanhar em vários momentos os resultados do tipo de jogada escolhido até para uma revisão desta decisão, por outra melhor.   Monitorar é o melhor ponto de partida para quem tem uma ideia na cabeça e uma opção de ação de comunicação na mão. (Imagem: http://www.alphafm.com.br/imgs_cinema/internas/raul.jpg )

Escrito por

Vany Laubé é jornalista e profissional de comunicação corporativa há mais de 20 anos, tendo auxiliado uma extensa gama de empresas, de todos os portes, desenvolvendo, implementando e cuidando da comunicação para funcionários, mercado e imprensa. Visibilidade sustentável é o foco de sua empresa +Mosaico Negócios & Comunicação. Informações em www.maismosaico.com.br .

Sem comentários ainda.

Deixe uma resposta

Mensagem